Com redução de voos, ida e volta 'Boa Vista-Manaus' pode custar até R$ 5 mil

26/02/2016 às 10h02

Conforme a simulação, a partir de maio a passagem para o estado vizinho poderá custar até R$ 5 mil, aproximadamente 14 vezes a mais do que era cobrado antes da medida. A distância entre os dois estados é de 782 km.

Apesar da mudança ocorrer somente no 17 de abril, o trecho Boa Vista - Manaus e Manaus - Boa Vista já deve ficar mais caro a partir desta sexta-feira (26), de acordo com as simulações realizadas.

Se antes uma pessoa gastava cerca de uma R$ 350, por uma viagem de 1h, agora ela pagará R$ 2.674.18 por uma viagem com quase dez hora de duração, o mesmo que duraria em uma viagem de ônibus. "O passageiro vai acabar pagando o trajeto Brasília-Manaus", informou a gerente de uma agência de viagens da capital, Rhonda Carrington.

Em outra simulação, compreendendo o período entre 1º e 31 de maio as passagem para o mesmo trecho chegam até R$ 5.049,28, pela empresa TAM, equanto nas concorrentes os preços variam entre R$ 395 e R$ 424.

A gerente explica que a alteração no preço das tarifas decorre de vários fatores, entre eles a cotação do dólar e o valor do combustível, mas segundo ela, até o momento as agências não foram informadas oficiamente sobre a mudança.

A expectativa é que as empresas aéreas concorrentes mantenham o valor das passagens que podem variar de R$ 350 a R$ 600, mesmo no período de alta temporada, conforme Rhonda. Ela disse ainda que é comum as empresas fazerem ajustes nesse período do ano.

"É o preço de uma viagem internacional. Não temos uma política que possa nos defender, porque para as companhias aéreas a região Norte não é rentável quanto a região Sul e Sudeste, e por isso somos prejudicados", explicou.

De acordo com a gerente, a dica para quem pretende viajar até Manaus é economizar e comprar as passagens com antecedência, tendo em vista a oscilação nos valores das tarifas.

De acordo com a TAM, a empresa "realizou mudanças na sua operação aérea em Manaus para adequar a malha aérea da companhia ao atual cenário brasileiro", cita comunicado enviado à reportagem.