Horas após cirugia, parafuso e achado dentro de paciente em Roraima

22/02/2016 às 11h02

Um jovem identificado como Hélio da Silva Conceição, de 24 anos, denunciou nesta segunda-feira (22) ter ficado mais de 24h com um parafuso esquecido dentro do braço. Segundo ele, o parafuso foi deixado após uma cirurgia no Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, para colocação de platina no osso onde teve uma fratura.

 

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) informou que o parafuso não foi esquecido paciente, mas que se soltou após a cirurgia. "Foi uma complicação, assim como pode ocorrer em qualquer procedimento cirúrgico", frisou.

 

Hélio, que sofreu um acidente no dia 13, teve uma fratura exposta no braço esquerdo. Na quinta (18), ele passaria por cirurgias, mas devido a uma queda de energia no Hospital Geral de Roraima teve a operação adiada para o sábado (21).

 

"No dia da operação, fui sedado e quando acordei o médico me disse para eu fazer o raio-x e lhe mostrar o exame no domingo pela manhã. Ele disse que se estivesse tudo certo, eu receberia alta em seguida", disse Hélio.

 

Ao fazer o raio-x e notar que havia um parafuso "perdido" entre o osso quebrado e a placa de platina colocada na cirurgia, Hélio disse ter ficado desconfiado de que foi vítima de erro médico.

"Logo depois de fazer o exame, encontrei o médico no corredor do hospital e mostrei para ele o raio-x. Ele me disse que aquilo era para ajudar o osso a se emendar. Não acreditei nisso, porque o próprio médico tinha dito que eu seria liberado se estivesse tudo bem comigo", narrou.

 

Após mostrar o exame ao médico, Hélio foi informado de que faria uma nova cirurgia para a retirada do parafuso. A operação ocorreu após às 12h desse domingo (21) e foi feita por outro cirurgião.

 

"Esperei algumas horas para fazer essa cirurgia. Enquanto esperava sentia dores no braço. Não sei se foi devido à colocação da platina ou se por culpa do parafuso deixado lá dentro", relatou.

Depois de passar pela cirurgia de remoção do parafuso, Hélio recebeu alta e deixou o Hospital Geral de Roraima. "Eu sei que foi uma falha dos doutores. Tenho certeza que fui vítima de erro médico", encerrou.

 

Na nota, a Sesau afirmou que além da placa óssea, foi empregado o uso de um parafuso interfragmentário no caso do paciente, conforme está previsto na técnica ortopédica para o caso do paciente.

"Após o procedimento, o paciente foi submetido a um raio-x, exame de rotina realizado justamente para monitorar os resultados das cirurgias antes da alta médica. Neste momento foi detectada a soltura do parafuso", diz a nota.

Quando a alteração foi detectada, a correção foi efetuada imediatamente, sem necessidade de retirada dos pontos da cirurgia e com anestesia local, conforme a Sesau.

"O procedimento foi feito com sucesso e tendo o paciente evolução satisfatória, ele recebeu alta médica ainda no domingo", afirmou.