Jovem é encontrado morto após sair para um encontro

28/04/2016 às 03h04

O corpo do assistente social Flávio da Silva Araújo, de 29 anos, foi encontrado nesta quarta-feira (27) no Anel Viário, zona Oeste de Boa Vista. Segundo a Polícia Civil, o jovem foi morto após um encontro sexual com dois jovens de 19 e 21 anos e um adolescente de 17.

Eles são suspeitos de matar o rapaz e com a ajuda de mais três pessoas sumir com carro da vítima.

Araújo desapareceu no dia 15 de abril. De acordo com familiares, ele se preparava para ir a um aniversário quando recebeu uma ligação e saiu de casa. Cinco dias depois, o carro do assistente social foi encontrado incendiado no bairro Distrito Industrial, zona Oeste da capital. A polícia e os Bombeiros chegaram a fazer buscas no Rio Branco.

De acordo com a delegada Magnólia Soares, um dos suspeitos do homicídio, Maicon Albuquerque de Oliveira, de 21 anos, teria ligado para a vítima e a chamando para um encontro sexual na praia do Caçari, na zona Leste da cidade, com outras duas pessoas. Após praticarem o ato sexual, ele se negou a pagar o programa e foi morto pelos infratores.

"Todos haviam ingerido bebida alcoólica, discutiram após o não pagamento e travaram luta corporal. A vítima foi morta dentro do próprio carro, com um canivete, que possivelmente seria dele", disse a delegada, acrescentando que Maicon e o adolescente já foram ouvidos e deram detalhes do assassinato.

"Após praticarem o crime, eles se livraram do corpo e abasteceram o a veículo com dinheiro da própria vítima. Eles também resolveram lavar o carro, e num segundo momento vendê-lo na tentativa de se desfazer das provas", relatou.

A delegada disse ainda que o crime teve a participação de Alessandro Guilherme Lima Carvalho, de 19 anos, que ainda não foi ouvido pela polícia.

Sobre o envolvimento dos jovens Rafael Amandes Valadares, de 19 anos e Luís Fernando Araújo Veloso, de 18 anos, presos na terça (26), em Caracaraí, a titular da Delegacia Geral de Homicídios (DGH) Mirian Di Manso, informou que eles tiveram participação apenas na queima do veículo. A dupla contou com a ajuda de um jovem identificado apenas por Wesley, que teve contato direto com os envolvidos no homicídio.

"Os assassinos passaram o carro para os outros envolvidos indiretamente no crime [Rafael, Luis e Wesley] sem informar a procedência do veículo pedindo que eles divulgassem no intuito de vendê-lo. Quando viram que a polícia poderia chegar a autoria do crime, eles ficaram com receio e se desfizeram do carro", informou Mirian.

Segundo ela, os suspeitos devem responder por homicídio qualificado. Os envolvidos no incêndio do carro devem responder por receptação. A investigações sobre o caso continuam.