Sem pontes, moradores do interior tem que atravessar rio a nado

24/05/2016 às 10h05

Sem pontes na região do Roxinho, em  Mucajaí, região Sul de Roraima, moradores estão atravessando os rios a nado. Em uma das regiões, moradores construíram um desvio, por onde passam somente motocicletas.

Apesar do perigo de entrar na água, o morador Edilson da Conceição conta que foi necessário atravessar nadando o Rio Repartimento para resolver problemas no município de Iracema. "É muito perigoso. Tem arraias, cobra e jacaré. É complicado", frisa.

A queda da principal ponte da região, que fica sobre o Rio Roxinho, obrigou os moradores a construírem um desvio. Agora, uma pequena passarela feita no local exige equilíbrio e paciência de quem precisa atravessar.

"Não há outa maneira, é o jeito atravessar nadando", comentou a moradora Dinalva Gonçalves. As obras na estrutura iniciaram dia 18 de maio, com previsão de término para o dia 18 de junho.

 

O problema também afeta os produtores da região. Com isso, os produtos ficam mais caros.

"Com certeza temos prejuízo, porque temos que passar por Iracema e isso aumenta o custo de produção", afirma o produtor Ivan Alves.

Há pessoas que precisam pegar outra rota para chegar ao destino. Foi a única solução encontrada pelo caminhoneiro José Alberto.

"Agora não sei por onde vou. Não sei se está saindo por Campos Novos", disse o homem, concordando que o gasto com gasolina será maior.

No Rio Repartimento, o fogo destruiu a ponte que era o único meio de deslocamento dos moradores para outras regiões. De toda a estrutura, somente duas colunas resitiram às chamas.

Os moradores Ozimar Alves e 'Zé Luiz' usam um barco para atravessar as pessoas para o outro lado do rio.

"A gente fica atravessando o dia todinho. Quando estou ocupado digo: 'Zé Luiz vai lá atravessar as pessoas', e ele vai", relatou o colono.

Ministério Público

O Ministério Público do Estado de Roraima recomendou semana passada que a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinf) realize no prazo de 90 dias a reconstrução das pontes que estão danificadas na Vila do Roxinho e das que integram a RR-325, que liga Mucajaí ao município de Alto Alegre, sob pena de responsabilização judicial.

Seinf diz que espera liberação de verbas

A Secretaria de Infraestrutura (Seinf), por meio de nota, informou que já fez o levantamento e elaborou o projeto básico para a reconstrução de pontes que foram queimadas ou danificadas na vicinal do Roxinho, mas que espera a liberação de recursos do Orçamento pela Assembleia Legislativa do estado.